Menus Paginas

"Ler p'ra Ser" é o lema da Semana da Leitura em Campo Maior que vai decorrer entre os dias 27 a 31 de Março de 2017


A Semana da Leitura em Campo Maior, com o lema "Ler p'ra Ser", vai decorrer entre 27 e 31 de Março de 2017.
Aos longo de cinco dias vão ser desenvolvidas várias iniciativas de leitura, nas quais o público alvo é a comunidade escolar do concelho de Campo Maior. As iniciativas vão decorrer no Centro Comunitário de Campo Maior, no Centro Escolar Rui Nabeiro e na Escola Secundária de Campo Maior, de acordo com o programa que publicamos em baixo.


"Roteiro dos Estendais" patentes até dia 31 de Março no âmbito da iniciativa "A Poesia sai à Rua" em Campo Maior


De forma a assinalar o Dia Mundial da Poesia, o Município, através da Biblioteca Municipal João Dubraz, desafiou a comunidade campomaiorense a escrever um poema numa peça de roupa que já não use. Estas peças foram posteriormente colocadas em vários "Estendais de Poesia" espalhados pela vila. Estes "Estendais de Poesia" estarão instalados até ao próximo dia 31 de Março, nos seguintes locais:

- Biblioteca Municipal João Dubraz
- Praça da República
- Jardim Municipal
- Piscinas da Fonte Nova
- Centro Cultural de Campo Maior
- Centro Comunitário
- CURPI
- Loja do Cidadão
- Quartel Bombeiros
- Polivalente de Degolados

Opinião: AS INVASÕES FRANCESAS SUAS IMPLICAÇÕES EM CAMPO MAIOR, por Francisco Galego

Placa comemorativa do I Centenário da Guerra Peninsular, na qual se evoca a valentia das gentes de Campo Maior, resistindo aos franceses.

Em 1807 entraram os franceses em Portugal…
No dia 1 de Dezembro de 1807, tinha entrado nesta Vila o regimento de Guardas Walonas e um batalhão do Regimento de Córdova, que saíram no dia seguinte.
No dia 11 do mesmo mês, entrou na vila o Regimento de Múrcia, que no dia 13, continuou a sua marcha.
No dia 8 de Janeiro de 1808, um batalhão dos Granadeiros Provinciais de Castela e, no dia seguinte, mais um batalhão do mesmo corpo, ficaram a fazer a guarnição da Praça, que só evacuaram em 16 de Março.
 O comando espanhol tinha determinado que esta guarnição fosse sustentada à custa do povo, mas o Juiz de Fora conseguiu livrá-lo desta obrigação, vindo a mesma a ser assegurada pela Administração de Badajoz.
Um sargento-mor da Praça procurou revoltar o povo contra a frouxidão do governo português que tinha abandonado o Reino deixando-o em tão penosa situação. Mas o povo preferiu cumprir as ordens deixadas pelo príncipe regente (1) e nada faltou ao fornecimento das tropas, sendo em parte providas pelo “Assento militar das provisões de boca” e, em parte, pelas pessoas particulares às quais eram passados escritos de dívida, que nunca vieram a ser pagos.
Campo Maior pode, contudo, considerar-se um dos Povos menos vexados pelos franceses.
O comando francês teve por mais acertado abandonar a Praça de Campo Maior. Em consequência deste abandono, os seus armazéns foram espoliados de toda a pólvora, munições e apetrechos de guerra, as armas dos particulares foram guardadas em depósito. O Regimento Nº 20 que constituía a sua guarnição, foi desorganizado e extinto e uma parte dele foi mandada para França. Esta extinção foi declarada no dia 14 de Maio de 1808.
Os arquivos, espingardas e mais utensílios militares foram mandados para Elvas.
Igual espoliação se verificou quanto ao Hospital Real Militar e ao Assento. Mas a povoação foi deixada em paz. À excepção de um Regimento de Suíços que entrou nesta Praça no dia 12 de Março e saiu no dia 13, não mais se viu tropa francesa, o que não foi pequena fortuna.
(João Mariano, p. 38 a 46)
Napoleão julgou os portugueses subjugados porque os viu sofridos. E contou achar na Espanha igual moderação…
Quase sem saberem um do outro, os dois povos entraram em efervescência e se inflamaram.
Campo Maior teve como incentivo os sucessos de Badajoz de 30 de Maio.
Francisco Cesário Rodrigues Moacho, boticário, Luís José Xara, sem outra ocupação para além de um pequeno tráfico contingente (2), ambos de condição humilde e medíocre fortuna, resolveram aproveitar a oportunidade da ocasião para restituir à sua Pátria a liberdade perdida.
 Francisco Pedro Xavier da Costa, que antes da desactivação da Praça era secretário do extinto Regimento Nº 20, da guarnição de Campo Maior, sabendo que antigos militares estavam dispostos a passar a Espanha para assegurarem a sua subsistência combatendo ao lado dos espanhóis contra os franceses, resolveu ir com Cesário de jornada até Badajoz, em 8 de Junho. O primeiro procurava serviço como militar. O segundo procurou o comissário do Governo Supremo de Sevilha para lhe expôr um plano que foi atendido com interesse sendo-lhe prometido que uma decisão seria tomada no prazo de oito dias.
À conspiração associou-se em Campo Maior, o mercador Manuel António Gonçalves Niza que pôs a sua casa á disposição para nela se reunirem.
Assim se deu começo ao processo que se veio a desenvolver em Campo Maior que, desde o início, teve a concordância e o apoio do General Galluzo que assegurava as ligações à Junta de Badajoz.

(In, João Mariano de Nª Sr.ª do Carmo Fonseca. In, Memória histórica da Junta de Campo-Maior ou História da revolução desta leal e valorosa villa, (Ed. António José de Torres de Carvalho, Elvas, 1912.    
-----------------------------------------
(1) Depois coroado como D. João VI, que tinha embarcado para o Brasil, a fim de evitar ser aprisionado pelos franceses que o forçariam a abdicar da coroa, perdendo-se assim, a independência de Portugal.
(2) Era então assim designado o contrabando.

A formação de atletismo da União Futebol Degolados participou na XXI edição do Grande Prémio de Atletismo Comendador Rui Nabeiro


A formação de atletismo da União Futebol Degolados participou na XXI edição do Grande Prémio de Atletismo Comendador Rui Nabeiro disputado ontem, dia 25 de Março, na cidade de Elvas.
Colectivamente a formação de Degolados alcançou a 18ª posição numa prova onde participaram mais de 40 equipas.
Nesta prova, os atletas de Degolados conseguiram os seguintes resultados:

Filipe Alves      -  1º   Benjamim A
Miguel Gaiao    -  10º Benjamim A
Yara Cirilo         - 12º  Benjamim A
Hélio Cortiglia   - 7º   Benjamim B
Iolanda Gaião     - 10º Infantil
Miguel Caldeira  - 12º Iniciado
Roberto Gaião    - 16º Iniciado 
Luis Gaião          - 15º veterano 2
Bruno Cirilo       - 16º  Sênior 
Alcino Cirilo      - 12º Veterano 5

Natação do Sporting Clube Campomaiorense no VIII Meeting de Natação Cidade da Guarda


O Sporting Clube Campomaiorense foi um dos 12 clubes participantes no VIII Meeting de Natação Cidade da Guarda que teve lugar ontem, dia 25 de Março. Esta prova da ANIC, foi organizada em conjunto com o Clube de Natação da Guarda.
O Campomaiorense apresentou-se nesta competição com uma equipa formada por apenas cinco nadadores que participaram  nas várias provas.
Em termos de resultados, os atletas campomaiorenses alcançaram os seguintes resultados:

11º - Miguel Cunha Miranda, Masculinos, 50 m Livres, Cadetes

9º - Luis Almeida Carrilho,  Masculinos, 100 m Livres, Infantis

10º - Miguel Cunha Miranda, Masculinos, 50 m Costas, Cadetes

7º - Luis Almeida Carrilho, Masculinos, 100 m Mariposa, Cadetes

12º - Beatriz Elias Carocinho, Femininos, 50 m Livres, Cadetes

5º - Ana Sias Pinto, 100m Costas, Absolutos - 12 anos e mais velhos

8º - Beatriz Elias Carocinho, Femininos, 50 m Bruços, Cadetes

4º - Ana Sias Pinto, Femininos 200 m Estilos, 12 anos e mais velhos


Miguel Minas é o novo presidente da Casa do Benfica em Campo Maior após as eleições realizadas durante o dia de hoje

Miguel Minas (à esquerda na foto) sucede a Joaquim Silva (à direita na foto) na liderança da Casa do Benfica em Campo Maior

Miguel Minas é o novo presidente da Casa do Benfica em Campo Maior, a Casa número 1 do Benfica em Portugal..
A Casa do Benfica em Campo Maior realizou hoje, dia 25 de Março, eleições para eleger os corpos sociais para o triénio 2017/2020, com a única lista a sufrágio a ser eleita com 113 votos a favor e seis votos brancos.
Segundo conseguimos apurar junto dos novos dirigentes desta instituição, o mandato da actual direcção, liderada por Joaquim Silva, termina no final do corrente mês de Março, pelo que a tomada de posse dos novos corpos sociais terá lugar no início do mês de Abril.

A lista vencedora é a seguinte:

Bruno Paixão repete vitória no Grande Prémio Rui Nabeiro em atletismo, disputado na cidade de Elvas. Vera Nunes vence em femininos


O atleta Bruno Paixão, do Beja Atlético Clube, venceu hoje, em Elvas, a 21.ª edição do Grande Prémio de Atletismo Comendador Rui Nabeiro, ao chegar isolado na meta e após percorrer os 10 mil metros da prova.
Bruno Paixão repete a vitória depois de ter ganho o ano passado a prova com um tempo recorde, abaixo dos 30 minutos.
A atleta Vera Nunes, do SL Benfica, venceu em seniores femininos, num trajecto em que Raquel Trabuco, do Clube Elvense de Natação, terminou em quinto lugar.
O Grande Prémio Comendador Rui Nabeiro integra o calendário nacional de provas de estrada e pontua para o circuito de corridas da Associação de Atletismo do Distrito de Portalegre.
A prova, disputada nas ruas da cidade de Elvas e com final no Estádio Municipal de Atletismo de Elvas, foi organizada pelo Clube Elvense de Natação.

Município de Campo Maior volta a aderir à Hora do Planeta desligando as luzes do edifício dos Paços do Concelho, entre as 20h30 e as 21h30


O Município de Campo Maior volta a aderir à Hora do Planeta desligando as luzes do edifício dos Paços do Concelho, entre as 20h30 e as 21h30, do dia de hoje, 25 de Março de 2017.
A Hora do Planeta é uma iniciativa global ambiental em parceria com a World Wide Fund For Nature (WWF). Indivíduos, empresas, governos e comunidades são convidados a desligarem as suas luzes durante uma hora no sábado, dia 25 de Março de 2017 às 20:30 para mostrarem o seu apoio à acção ambientalmente sustentável.
Como uma das primeiras campanhas acerca das alterações climáticas, a Hora do Planeta tem crescido a partir de um evento simbólico numa única cidade para o maior movimento do mundo em defesa do ambiente.
A Hora do Planeta em 2016 chegou a 178 países e territórios, a mais de 9000 cidades e vilas.
Em Portugal, 110 municípios aderiram e centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram às escuras, como a Ponte 25 de Abril, o Mosteiro dos Jerónimos, o Cristo Rei, em Lisboa e o Convento de Cristo, em Tomar.
Em 2017, a Hora do Planeta pretende aproveitar o poder dos seus milhões de adeptos em todo o mundo para mudar o rumo das alterações climáticas.
Adira a esta iniciativa para bem de todos nós!
Para mais informação, consulte o site da WWF em: http://www.wwf.pt/

Casa do Benfica em Campo Maior elege hoje os novos corpos sociais. O acto eleitoral decorre a partir das 18 horas na sede social


A Casa do Benfica em Campo Maior realiza hoje eleições para eleger os corpos sociais para o triénio 2017/2020.
O acto eleitoral vai decorrer hoje, dia 25 de Março, entre as 18 e as 22 horas, na sede no Polidesportivo de S. João Baptista, em Campo Maior.
Apenas uma lista se apresentou a sufrágio, lista essa que é liderada por Miguel Minas que, será o novo líder da Casa do Benfica em Campo Maior. Segundo conseguimos apurar, o mandato da actual direcção, liderada por Joaquim Silva, termina no final do corrente mês de Março, pelo que a tomada de posse dos novos corpos sociais terá lugar no início do mês de Abril.

A lista apresentada a sufrágio é a seguinte:


De Sábado para Domingo, dia 26 de Março, muda a hora. O relógio adianta da 1 para as 2 horas, entrando em vigor o chamado horário de Verão.

Na madrugada de Sábado para Domingo, dia 26 de Março, a hora muda. Quando for uma da madrugada de Domingo, o relógio adianta para as duas.
Entra assim em vigor o chamado horário de Verão.

Os relógios adiantam uma hora na madrugada do próximo domingo dia 26 de Março (entre sábado e domingo), à 01h:00m em Portugal continental e na Madeira e às 00h:00m nos Açores, passando a vigorar o horário de verão, que se mantém até Outubro.
Em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, os ponteiros do relógio avançam 60 minutos quando for 01h:00m, passando a ser 02h:00m.
Na Região Autónoma dos Açores, que tem menos uma hora em relação ao restante território nacional, a mudança é feita à meia-noite, passando a ser 01h:00m.
O horário de verão mantém-se até ao último domingo de Outubro, dia 30, altura em que os relógios voltam a atrasar, de madrugada, 60 minutos, passando a vigorar o horário de inverno.
Com a hora de verão, o continente e a Madeira ficam com mais 60 minutos face ao Tempo Universal Coordenado.
A mudança da hora é fixada por legislação comunitária, ocorrendo, até 2021, nos últimos domingos de Março (horário de verão) e de Outubro (horário de inverno).
Em Portugal, a hora legal é determinada pelo Observatório Astronómico de Lisboa.

Rui Miguel Nabeiro, presidente da AICC no Encontro Nacional de Torrefactores onde se apresentou o projecto ‘The Portuguese Coffee’

Rui Miguel Nabeiro, Administrador da Delta Cafés, é o Presidente da Associação  Industrial e Comercial do Café (AICC). Foto: Mundo Português

Ao contrário de outros países que insistem em grãos de café 100% Arábica, o espresso português é obtido a partir de uma mistura de café torrado lentamente. Como resultado obtém-se um café com creme cor de avelã, denso e muito equilibrado.

A sala dos Presidentes acolheu o Encontro Nacional de Torrefactores promovido pela Associação Industrial e Comercial do Café (AICC). No encontro foi apresentado um estudo da ‘Euromonitor’ intitulado ‘Tendências Internacionais do Consumo de Café’. O evento contou com a presença da Embaixadora da Colômbia em Portugal, Carmenza Jaramillo e do organizador do SISAB PORTUGAL, Carlos Morais entre muitos empresários do setor.
A sessão de abertura coube ao presidente da AICC, Rui Miguel Nabeiro, que, depois de dar as boas vindas a todos os presentes, referiu ser “na base da partilha que este encontro é uma boa oportunidade para conhecermos as novas tendências e as novas práticas sendo o nosso principal objectivo o de mantermos o sector do café português na vanguarda, pois o café é, sem dúvida, um produto de excelência, uma das bebidas mais consumidas no nosso país e no mundo”. O presidente da AICC continuou reforçando a missão da AICC “em levar mais longe a mensagem do café português e foi com essa premissa que, em 2016, reforçámos essa mensagem dando inicio à expansão e lançamento da marca global ‘Portuguese Coffee: a blend of stories’ numa iniciativa desta associação. Quisemos marcar este território e foi nesse sentido que apresentámos o café português ao mundo, no passado Encontro Nacional de Torrefactores, também estivemos no SISAB e mais tarde na SIAL, em Paris. Foram pequenos passos, mas firmes que nos estimulam a continuar a traçar o nosso caminho. Para além disso voámos além-fronteiras na revista de bordo da TAP, através de alguns anúncios e de uma reportagem sobre o café português mostrando a todos os que nos visitam a nossa tradição sobre o café”. O projecto 'Portuguese Coffee – a blend of stories' é uma marca institucional propriedade da Associação Industrial e Comercial do Café (AICC).
Rui Miguel Nabeiro apresentou ainda as iniciativas da associação na promoção e divulgação do café português nos meios digitais onde “aproveitando a revolução digital que se vive na nossa sociedade lançámos um novo site dedicado ao café português, o theportuguesecoffee.com” o presidente da associação realçou ainda “a excelente adesão que teve o campeonato nacional de baristas, no ano passado. Novos públicos, mais baristas internacionais e diversos representantes de equipamentos marcaram presença no campeonato. O mundo do café está de facto a mudar, o perfil do consumidor também pelo que atentos a este facto iniciamos o ano de 2017 com o estudo que vamos ver de seguida”, terminou o presidente da AICC.
Depois da apresentação do estudo, o encontro continuou com um debate aberto aos participantes sobre as novas tendências do consumo de café com exemplos trazidos por empresários e dirigentes associativos do sector.

Experiências

"Os portugueses bebem café por prazer, mas serve também como desculpa para um encontro de amigos e ‘dois dedos’ de conversa. Os portugueses normalmente bebem espresso, maioritariamente fora de casa. Espresso é tão importante para nós que também temos a palavra portuguesa 'Expresso' em vez de 'Espresso'", destaca a Associação Industrial e Comercial do Café (AICC), na nota de apresentação do projecto.
Ao contrário de outros países que insistem em grãos de café 100% Arábica, o espresso português é obtido a partir de uma mistura de café torrado lentamente. "Como resultado obtém-se um café com creme cor de avelã, denso e muito equilibrado", explica a AICC. "O nosso método particular de torrefação preserva a essência do café português, reduzindo a sua acidez, conferindo-lhe um aroma mais forte, mais corpo e suavidade. O resultado é uma experiência sensitiva com tendência a permanecer na boca criando uma memória forte no consumidor", acrescenta.
A Associação lembra ainda que Portugal está, há muito tempo, "na vanguarda da indústria de café e está entre os países que melhor conhecem os métodos de processamento do café, muito devido ao seu passado colonial no Brasil, Timor, São Tomé e Príncipe e Angola".

"Noite de Fados" dos finalistas do Centro Educativo Alice Nabeiro é já hoje na Quinta das Argamassas em Campo Maior


É já na noite de hoje, sexta-feira, dia 24 de Março que os finalistas do Centro Educativo Alice Nabeiro (CEAN), e familiares, levam a cabo mais uma grande Noite de Fados.
A organização conta com a presença de Olinda Moriano Silva, Catarina Murcela, Beatriz Clemente, António João Gonçalves, Mariana Guerra, Beatriz Salgueiro, Cláudia Poeiras e, este ano, reservam algumas surpresas.
A organização já está postos, com tudo preparado para a noite de fados, na quinta das Argamassas, onde haverá petiscos, bebidas e um ambiente único.

“A Mordaça” amanhã no Centro Cultural integrada na Programação do Festival Internacional de Teatro do Alentejo


PEÇA INTEGRADA NA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DO ALENTEJO (FITA)

Amanhã, dia 25 de Março, no Centro Cultural sobe ao palco “A Mordaça”. Um espectáculo-conferência, criado a partir do texto de Éric-Emmanuel Schmitt "A Mordaça". Neste texto conta-se "a história de um homem tomado por uma doença incurável, uma doença vergonhosa para os outros, como se o amor e as suas consequências - mesmo trágicas - pudessem ter alguma coisa de vergonhoso. É mesmo pelo facto dele se aperceber da morte que a sua vida se vai tornar preciosa, e por causa da incompreensão dos que lhe estão mais próximos, é na floresta que ele acaba por encontrar um refúgio". (Éric-Emmanuel Schmitt). Mas, o espectáculo não se esgota neste texto. Gráficos e estatísticas do relatório de 2014 da Organização Mundial de Saúde, notícias científicas sobre o comportamento dos fármacos e os seus efeitos colaterais, bulas de medicamentos antirretrovirais, histórias de vida recolhidas em documentários sobre a exclusão ou, ainda, textos didáctico-satíricos sobre sexualidade, fazem parte do material base da construção do guião.

Passos recuperados e restaurados pela Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Expectação


A Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Expectação está a proceder à recuperação e restauro dos Passos que se situam na área da freguesia. Como se pode verificar nas fotos aqui publicadas, os Passos já se encontravam com alguns sinais de degradação no exterior, inclusivamente no seu interior com os painéis de azulejos danificados.
Com estas obras, a Junta de Freguesia recupera o património e deixa tudo a postos para a realização da Procissão dos Passos em Campo Maior que vai ter lugar no próximo dia 2 de Abril.

Comendador Rui Nabeiro condecorado com Medalha de Mérito da Guarda Nacional Republicana


O Comendador Rui Nabeiro, industrial campomaiorense, foi condecorado com a Medalha D. Nuno Álvares Pereira, Medalha da Mérito da Guarda Nacional Republicana (GNR).
A cerimónia de condecoração decorreu no passado dia 21 de Março, no Quartel do Carmo, em Lisboa, e foi presidida pelo Comandante Geral da GNR, o Tenente-General Manuel Mateus Costa da Silva Couto.
Nesta cerimónia de distinção do Comendador Rui Nabeiro, estiveram presentes o Comandante do Comando de Portalegre, Coronel Joaquim Vivas, o Comandante do Destacamento de Elvas, Capitão Cláudio Godinho, o Comandante do Posto de Campo Maior bem como o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Campo Maior, Sérgio Bicho, em representação da autarquia.

Opinião: O CERCO DE 1811, por Francisco Galego


Um breve resumo dos principais acontecimentos:
- 9 de Março - Foi posto cerco a Campo Maior: o exército sitiante era composto por 4 a 5 mil homens;
- O MajorTalaya dispunha de menos de 500 homens armados: 300 ordenanças, mas só 110 armados; 230 milicianos de Portalegre;
- Talaya sabia que Beresford [1] estava a caminho para socorrer Campo Maior;
- Resistiu duas semanas; os milicianos de Portalegre recusaram continuar a luta;
- Só havia pólvora para mais um dia; o Major Talaya procurou ganhar tempo;
 - A 20 de Março, foi negociada a rendição: se até ao dia 22 não fosse socorrida, a praça render-se-ia.
 - Os franceses entram na Praça no dia 24. Mas retiraram no dia 25, com a chegada de Bersford.
 - Ouguela rendera-se dois dias antes.
  -Tinham disparado contra a vila 10 mil projécteis de artilharia.         
 - Parte das munições eram portuguesas: tinham sido trazidas pelos franceses de Olivença.
 - No Alentejo, só Elvas não foi ocupada.
  
A defesa de Campo Maior em 1811 tomou proporções de excepcional heroísmo, pois que, estando a praça quase desmantelada, pessimamente artilhada e fracamente guarnecida, resistiu durante dez dias a um sítio vigoroso dos franceses, só se rendendo com todas as honras de guerra e saíndo a sua guarnição pela brecha feita no baluarte da Fonte do Concelho.[2]
Quando a divisão francesa do exército de Soult, comandada pelo general Girard, viu sair aquela guarnição, ficou espantosamente assombrado, pois que, o seu heróico comendante, o major de engenharia Talaya, apenas era seguido por pouco mais de 30 homens de tropa regular, praças do regimento nº 3 de artilharia, sendo os restantes milicias e ordenanças mal armados, num total que não excederia os 300 homens, na sua maioria feridos e extenuados.
A defesa de Campo Maior foi um dos factos mais honrosos da chamada Guerra Peninsular, sendo para a vila um padrão de eterna glória. Todos os homens válidos lutaram contra os sitiantes e até algumas mulheres cooperaram na peleja.
As condições de rendição foram as mais honrosas possíveis e o general francês, prestou ao governador, o destemido major Talaya, as máximas distinções. Não menores, nem menos honrosas foram as que Bersford lhe rendeu, no seu relatório sobre a defesa de Campo Maior.
À vila, que tão portuguesa e heróica se mostrara, foi-lhe, por decreto, concedida a denominação de “Lealdade e Valor - Leal e Valorosa Vila de Campo Maior” que ostenta no seu escudo.
-------------------------------------------------------------
Este texto foi elaborado com base no artigo publicado pelo jornal O Distrito de Portalegre , no seu nº 1848, de 19 de Março de 1911, quando se comemorava o centenário deste grande feito da praça d’armas de Campo Maior. No castelo foi colocada uma lápide que assinala esse notável acontecimento.
Para maior desenvolvimento, recorrer a:
. - "O Cerco de Campo Maior em 1811", Publicado pela Comissão do Centenário da Guerra Peninsular, Lisboa,Imprensa Nacional , 1911
   - II  Centenário da Guerra Peninsular - Uma Celebração Maior em Campo Maior - o Cerco de 1811, Publicado pela Câmara Municipal de Campo Maior, 26 de Março de 2011.
------------------------------------------------------------- 
[2[1] ]General britânico, enviado pelos aliados ingleses para, como marechal do exército português, organizar a defesa contra as tropas napoleónicas. Recebeu depois o título de Marquês de Campo Maior.
   [2] Devido a isso, este baluarte passou a ser designado por "Baluarte da Brecha". Ainda hoje se pode localizar a brecha aberta pela artilharia francesa, pois que, a face voltada para o campo da feira, mostra sinais dessa abertura.

Grande Prémio Comendador Rui Nabeiro em atletismo, organizado pelo Clube Elvense de Natação, realiza-se no próximo sábado


O Clube Elvense de Natação (CEN) vai realizar, no dia 25 de Março, o XXI Grande Prémio de Atletismo Comendador Rui Nabeiro. A prova organizada pelo Clube Elvense de Natação decorrerá num percurso urbano entre a sede da colectividade, na Av. D. Sancho Manuel, em Elvas, e o Estádio Municipal de Atletismo, e tem início pelas 15 horas.

No Dia Mundial da Árvore comunidade escolar de Campo Maior plantou árvores nas Hortas Solidárias


Celebrou-se ontem o Dia Mundial da Árvore e foram várias as iniciativas que assinalaram esta ocasião.
Durante a manhã os alunos de Educação Especial e os do Curso Profissional de Turismo da Escola Secundária estiveram nas Hortas Solidárias, onde plantaram cerca de 40 árvores de fruto, numa iniciativa onde a Vereadora Isabel Raminhas também esteve presente.
Já no Centro Escolar Comendador Rui Nabeiro (CERN) os alunos do Pré-Escolar comprometeram-se a cuidar das árvores da sua Escola tendo, cada uma das seis salas deste grau de ensino, apadrinhado uma das árvores que se encontram no recreio do CERN.

Caminhada pela Floresta promovida pelo SEPNA da GNR no âmbito da celebração do Dia da Árvore













No âmbito da celebração do Dia da Árvore 2017, a Guarda Nacional Republicana (GNR) do Comando Territorial de Portalegre, através do SEPNA, organiza a "Caminhada pela Floresta 2017", no próximo dia 25 de Março, com a concentração pelas 9 horas no Largo da Folha do Meio – Besteiros de Cima – Alegrete.
Esta iniciativa tem como objectivo principal a promoção do contacto dos participantes com a natureza, sensibilizando-os para a importância da árvore e do seu valor natural e ambiental, bem como para a preservação do espaço florestal, e conta com o apoio do Instituto da Conservação da Natureza, da Câmara Municipal de Portalegre e do Café Restaurante "O Tavares".
Com partida e chegada do Largo da Folha do Meio – Besteiros de Cima – Alegrete (39º14',0164N; 007º22',7623W), será utilizado o percurso pedestre existente (cerca de 10 km) com passagem pela Ermida de Nossa Senhora da Lapa. A concentração será a partir das 09H00, existindo no local espaço apropriado para o parqueamento de viaturas. Será fornecida água e fruta aos participantes.
Inscrições gratuitas, através do telefone 245609320 (Secção SEPNA) ou e-mail ct.ptg.sepna@gnr.pt

Reforço do Banco de Ajudas Técnicas. Junta de Freguesia da Expectação disponibiliza mais equipamento para ajuda à população carenciada

Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Expectação, concelho de Campo Maior, promove ajuda a população carenciada. Fotomontagem: Campomaiornews

O Banco de Ajudas Técnicas promovido pela Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Expectação vai ser reforçado com mais equipamento, nomeadamente Cadeiras de rodas, Andarilhos, Almofada Anti Escaras, Cadeira de Banheira e Canadianas.
Este programa, em vigor desde o passado dia 1 de Fevereiro, disponibiliza o referido equipamento, à população carenciada desta freguesia do concelho de Campo Maior. O equipamento que Junta adquiriu recentemente, nomeadamente 4 Cadeiras de Rodas, 2 Andarilhos e 1 Almofada de Gel, com o objectivo de ajudar a colmatar estas carências junto da população mais idosa e carenciada, acabou por não chegar para as necessidades verificadas, pelo que foi agora efectuado um reforço, com a aquisição de mais equipamentos..
O apoio que é prestado pela junta, neste caso, funciona a título de empréstimo do referido equipamento, cujo pedido terá que ser efectuado na sede da Junta de Freguesia pelos utentes que assim o entendam solicitar.
Esta medida insere-se nos objectivos da Junta, nomeadamente na disponibilização de múltiplas soluções adaptadas a diferentes necessidades, para ajudar pessoas com perda de autonomia e dependentes, facilitando assim a sua reabilitação tentando melhorar a vida diária e ajudando na prevenção de situações de dependência.

Notícias relacionada: